0800-000-5252 |

28/04/2017 - Profissionais da Secretaria Municipal de Saúde e do Instituto Corpore de Igarapava, realizam grupo hiperdia - Vacinação gripe Influenza.


Foi realizado no dia 24/04/2017 na unidade básica de saúde Drº Manoel Ribeiro Soares, no município de Igarapava o grupo hiperdia com o tema vacinação influenza.

Com o objetivo de proporcionar a todos os usuários de saúde informações sobre vacinação influenza a Drª Miriam disse que os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Os vírus influenza A são ainda classificados em subtipos de acordo com as proteínas de superfície, hemaglutinina (HA ou H) e neuraminidase (NA ou N). Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1) e A(H3N2) circulam atualmente em humanos. Alguns vírus influenza A de origem aviária também podem infectar humanos causando doença grave, como no caso do A (H7N9).

Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza. A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza. 

A Drª Miriam também disse que serão vacinadas mais de 54 milhões de pessoas que integram os grupos prioritários.

A partir desta edição da campanha, professores das redes pública e privada passam a fazer parte do público-alvo. “Pela primeira vez, o Brasil está vacinando os professores contra a influenza. São profissionais que têm contato com dezenas de alunos diariamente, ficando expostos à contaminação”. Ela explica que a ação ocorrerá no âmbito do programa saúde na escola, que prevê o acompanhamento e regularização das coberturas vacinais da população.

Drª Miriam faz um alerta à população para que não se vacine em cima da hora. “É importante que todos os grupos definidos busquem esta proteção dentro do prazo preconizado pelo Ministério da Saúde. É preciso que todos estejam devidamente protegidos antes do inverno chegar, já que a vacina precisa de 15 dias para garantir o efeito”, observa. O objetivo do ministério é vacinar 90% da população considerada de risco para complicações por gripe. A meta de vacinação deste ano aumentou devido aos índices alcançados nos últimos anos, que ultrapassaram 80%. O ano de 2016 foi o primeiro em que este índice ultrapassou 90% e atingiu 93,5% de cobertura vacinal.

O público-alvo da campanha é formado por pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional.

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, também devem se vacinar.

A ação foi desenvolvida pela Drª Miriam Adelina, enfermeira Alessandra Vilaça, técnicas de enfermagem Milene Azaias e Lívia Martelozo, recepcionista Ângela Rosana, Raphael Fernandes e agentes de saúde Adriano Cesário, Claudia Maria, Nancy da Silva, Simone Ferreira e Maria de Fátima e contou com a participação de 30 pessoas.


Voltar

Social: